Usar ou não sacola plástica, uma decisão do consumidor

Por admin • nov 17th, 2013 • Categoria: Meio Ambiente

Material que se tornou a praga moderna merece ser analisado pelo consumidor e que ele defina sua participação no tema.

Saco ou sacola plástica é um problema na atualidade. Seu uso é amplamente divulgado, todos distribuem ou exigem, mas alguns pontos precisam ser analisados pelo consumidor para que ele decida como vai ser sua atuação neste tema: se vai exigir a distribuição ou se vai pedir pela proibição. De qualquer forma, a sacola plástica é encarada como algo prático, um direito e mudar o hábito requer percorrer um caminho, que é pessoal.

O primeiro ponto a analisar, e fundamental, é que o plástico pode demorar até quatro séculos para se decompor, dependendo da exposição à luz ultravioleta e alguns outros fatores. Este período é cerca de oitocentas vezes maior que o necessário para a decomposição de papel ou papelão. Diferente do que acontece com lixo orgânico, que precisa de um período de cerca de dois meses para sair do mapa em trabalho de decomposição realizado por minhocas, fungos e bactérias, o plástico ainda não encontrou na natureza nada que consiga elimina-lo a curto prazo, por ser um produto com cadeias moleculares quase inquebráveis.
Foi na década de 1970 que os sacos plásticos ganharam o mercado e ganharam força na década de 1980, com a cultura do descartável facilitando a vida moderna. Mas o grande “facilitador” da modernidade acabou por se tornar o grande vilão do meio ambiente. Um saquinho é produto de um derivado do petróleo, que é substância não renovável, uma resina chamada polietileno de baixa densidade (PEBD). No Brasil, cerca de 10% de todo o lixo é composto por estes saquinhos e cada tonelada de plástico produzida pede 1.140 kw/hora, o que daria para manter aproximadamente 7.600 residências iluminadas com lâmpadas econômicas por uma hora. Na conta da produção entra ainda muita água e existe a presença de dejetos, que acabam por onerar o meio ambiente.

Quando não estão no lixão, os plásticos poluem os mares e, na confusão dos dejetos, peixes e tartarugas marinhas acabam por sucumbir ao ingerirem essas matérias. Além disso, na vida urbana, os saquinhos são os tais vilões, causando o entupimento de bueiros e diminuindo a vazão de córregos, contribuindo diretamente para que ocorram inundações e retenção de mais lixo.

HÁBITO
VÁRIOS PAÍSES NA LUTA PELA PROIBIÇÃO

Europa e Estados Unidos há muito se movimentam contra o uso excessivo de sacolas plásticas. Na Alemanha, se o consumidor não levar sua sacola, pagará um preço salgado pelo saquinho que deverá utilizar. Na Irlanda e Inglaterra, redes de supermercados já aderiram à sacola totalmente biodegradável. Mas a mudança de hábito é um caminho longo e deve ser trilhado com calma.

SERVIÇO
DICAS ÚTEIS

Eis algumas ideias que podem ajudar na diminuição do consumo de sacolas plásticas descartáveis.

LEVE SUA SACOLA – Se você começar a levar uma sacola para fazer compras, tanto no supermercado quanto na feira ou quitanda, mesmo que não caibam todas os produtos que necessita comprar, ao acondicionar parte você já necessitará de menos sacolinhas plásticas.

SACOLA DE FEIRA – Aquelas sacolas grandes, muito utilizadas para ir à feira, são ótimas para compras maiores, quer sejam de plástico resistente ou mesmo de pano ou lona.

CAIXAS DE PAPELÃO – Se as compras são muitas, peça caixas de papelão ao supermercado, e assim transportar os volumes com tranquilidade e sem uso das tais sacolinhas. Algumas redes de supermercado já oferecem caixas aos seus clientes.

SACOLAS BIODEGRADÁVEIS – Se o supermercado dá a opção de sacolas biodegradáveis, não titubeie. Dê preferência às biodegradáveis no lugar de aceitar as sacolas comuns. A sacola biodegradável é consumida por microorganismos.

NÃO ACEITE SACOLA OXIBIODEGRADÁVEIS – Se oferecerem sacola Oxibiodegradáveis não aceite. Mesmo se desfazendo na natureza esta sacola se utiliza de componentes químicos nocivos para se decompor, continuando a poluir o meio ambiente.

SACOS DE PAPEL – Se o estabelecimento onde faz compras oferece a opção de sacos de papel para que carregue suas compras, não titubeie, aceite. Dê preferência sempre!

DATA DE VALIDADE DOS PRODUTOS – Por incrível que pareça esta é uma medida sustentável. Se você compra um produto fora do prazo de validade, a certeza é de que irá para o lixo. Isso representa um desperdício de dinheiro e, de quebra, de saquinhos para carregá-los à toa.

REPENSE SUAS COMPRAS
– Comprar com responsabilidade é um ato sustentável e é chamada de consumo consciente. Se você compra com consciência, não vai desperdiçar nem gastar a mais. É um ótimo exercício.

Tagged como: ,

Comente