PROTESTE ensina a procurar o melhor financiamento de veículo

Por admin • out 18th, 2013 • Categoria: Seu Bolso

Uma pesquisa feita pela Associação de Consumidores constatou que a economia pode chegar a R$ 6 mil.

A Proteste – Associação de Consumidores foi a campo fazer pesquisa sobre as condições de financiamento de veículos novos em bancos e montadoras. A associação constatou que a economia pode chegar a R$ 6 mil, somente com pesquisa de custo, e sem precisar aumentar o valor da entrada ou mesmo encurtar o prazo de pagamento, e nem mesmo abrir mão de algum recurso do veículo.

É certo que o preço à vista é sempre o mais baixo, mas se for preciso financiar é possível evitar desperdícios ao se informar sobre o CET, ou Custo Efetivo Total, do empréstimo. O CET inclui a taxa de juros, a tarifa de cadastro, o registro de gravame e o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), entre outros gastos.
No estudo, a Proteste pesquisou o CET do financiamento nos seis maiores bancos do país para quatro modelos de veículos 1.0. Em todos os casos, foi considerada entrada de 40% e o financiamento em 24 ou 48 meses.

Vejamos. Um Uno Vivace 1.0, que sai por R$ 30,7 mil à vista, se for financiado pela Caixa em 48 meses terá um CET de 15,11% ao ano, de modo que cada parcela fica em R$ 504. No Bradesco, o custo é de 30,64% ao ano, com parcelas de R$ 631 mensais. Com isso, o consumidor pagará, pela Caixa, um valor total de R$ 36,5 mil ao final de quatro anos. Já pelo Bradesco, o carro custará R$ 42,6 mil, uma diferença de R$ 6,1 mil.

Assim se comprova que só pesquisar o valor mais em conta oferecido pela concessionária não é o suficiente. A pesquisa constatou que, no Rio, o preço do Classic 1.0 na revenda da General Motors, localizada na Barra da Tijuca, é R$ 29.740. Em outra de Botafogo, foi encontrado o mesmo modelo por R$ 28.990.

Apesar da segunda alternativa parecer mais vantajosa, isso cai por terra quando o CET é analisado. No caso de parcelamento em 48 vezes, o juro é de 17% ao ano na Barra e chega a 27% ao ano em Botafogo. Dando 40% de entrada, as parcelas apresentadas são de R$ 504 e R$ 572, respectivamente, e, ao final de quatro anos, a escolha pela concessionária com o menor CET terá significado uma economia de R$ 3.264. Situação semelhante acontece quando a comparação é feita entre financiamentos oferecidos em concessionárias e bancos. Na Volks do bairro de Bonsucesso, financiar 60% do preço do Gol Geração 6 em 24 vezes significa arcar com um CET de 35% ao ano. Na Caixa Econômica Federal, esse valor cai para 16% ao ano. Isso corresponde a uma parcela de R$ 1.056 no primeiro caso e de R$ 909 no segundo. Ao optar pela Caixa em vez da concessionária de Bonsucesso, você economizará R$ 3.509.

O problema, segundo a Proteste bem avisa, é que nem sempre é fácil obter informações sobre o CET nas concessionárias. Muitas vezes, os vendedores dizem não saber informar sobre esses valores. Entretanto, em toda operação de crédito é obrigatório fornecer todos estes dados. A associação aconselha ao consumidor que simule o financiamento no máximo de concessionárias que conseguir e que anote os CETs. Esse valor pode variar bastante de bairro para bairro. Ao chegar na concessionária, pegue o preço do carro à vista (pergunte por desconto no valor total). Vá a instituições bancárias com o orçamento para simular o crédito. Anote os CETs. No estudo da PROTESTE se constatou que o financiamento da maioria dos carros era mais vantajoso na Caixa, tanto para o parcelamento em 24 como em 48 vezes. Somente a compra do Fiesta saia mais em conta se realizada junto ao banco da Ford. Apesar de alguns bancos (comerciais ou de montadoras) oferecerem o financiamento de 100% do veículo, a Proteste aconselha a pagar o maior valor de entrada possível, reduzindo o número de parcelas. Também visando à economia, você mesmo pode providenciar o licenciamento, o IPVA e o seguro obrigatório, dispensando o serviço de despachante oferecido e cobrado pelas concessionárias. O procedimento é simples. Basta ir ao Detran e pagar os documentos.

Comente